Artefatos Importados

ft_05Os vestígios arqueológicos da vila de Itaúnas e da zona rural do século XIX mostram influências culturais africanas e indígenas, bem como um intenso comércio com a Europa, especialmente com a Inglaterra e a Holanda. Com a abertura dos portos e a transferência da Corôa Portuguesa para o Brasil em 1808, os frascos medicinais, as faianças (sopeiras, pratos, xícaras, pires , urinóis) garrafas, vidros medicinais e de toucador revelam novos modos de vida e uma crescente preocupação com a higiene, saúde e a etiqueta.

Os cartuchos e partes de espingardas indicam que a caça contribuiu significantemente para o sustento da população, sendo complementado pela pesca, coleta de moluscos e a criação de animais domésticos, sobretudo o porco.

Alguns dos cachimbos, provavelmente utilizados durante cerimônias religiosas e o acabamento da cerâmica por meio de aplicação de um líquido de plantas que a torna escura, remetem a uma influência cultural africana. A decoração dos cachimbos está relacionada com a ornamentação facial dos grupos étnicos específicos.
Com o advento da Primeira Guerra Mundial os itens importados foram substituídos por bens manufaturados nacionais, tais como a cerâmica vitrificada da Bahia, louças e vidros de São Paulo. A cerâmica regional foi amplamente empregada para cozer e servir alimentos.